Asti é o mais importante centro vínicola do Piemonte. É uma cidade marcada pela presença de mais de cem torres medievais, igrejas elegantes e telhados vermelhos. Boa parte dos principais monumentos da cidade estão no núcleo mais antigo da cidade, conhecido como Recinto dei Nobile.

Uma vez em Asti, vale a pena conferir a igreja de San Secondo (séc. XIII – XV), a igreja San Pietro In Consavia (séc. XIV) e a Piazza Alfieri, identificada por sua forma triangular. A cidade também é a fabricante de um dos mais famosos vinhos do Piemonte: o Moscato d’Asti, produzido com a uva Moscata.

Anualmente na cidade de Nizza Monferrato (a cerca de de 25 Km de Asti), ocorre um evento popular denominado La Corsa delle Botti (A Corrida dos Barris). Estes barris são utilizados pelas vinícolas para o transporte do vinho, tanto por estrada quanto pelas ferrovias. Os competidores representantes de cada vinícola, encontram-se ao final do mês antecedente ao primeiro domingo de junho. As eliminatórias se sucedem até restarem 6 competidores, os quais disputam a Grande Final.

Obs.:

Origem: a produção de espumantes teve início por volta de 1850 na cidade de Canelli, no Piemonte, norte da Itália. A primeira demarcação da zona produtiva ocorreu em 1932. Em 1993, ao lado do Moscato d’Asti (um vinho irmão, só que frisante), o espumante foi elevado à condição de DOCG (Denominazione di Origine Controllata e Garantita).

Tipo: espumante doce, de baixo teor alcoólico, entre 7 e 9,5%, sem safra. O Moscato d’Asti tem entre 4 e 6% de álcool e apenas um terço da pressão do espumante Asti.

Elaboração: para se obter um espumante pouco alcoólico e doce, a (primeira) fermentação, que se dá em grandes tanques de aço inox, é interrompida por resfriamento antes de terminar totalmente. Dessa forma, mantém-se uma boa quantidade de açúcar no vinho.

Zona de produção: a área oficialmente delimitada abrange quase 10 mil hectares em 52 comunas (cidades) de três províncias piemontesas: Asti, Cuneo e Alessandra.

Uvas: apenas a aromática uva Moscato Bianco (também chamado de Moscato Canelli) pode ser usada na fabricação do espumante Asti (e do frisante Moscato d’Asti).

Produção: entre 70 e 80 milhões de garrafas de espumante Asti são comercializadas por ano, 80% das quais exportadas.

Fonte: Marcos Pivetta/www.jornaldovinho.com.br