dscf9709.jpg

Olá amigos:dscf9709.jpgdscf9709.jpg

Resolvemos degustar um vinho que despertava em nosso grupo o interesse de realmente provar as sensações que seriam proporcionadas por este renomado vinho espanhol. Na oportunidade, a degustação foi feita por um total de três pessoas. Achamos por bem iniciar a degustação com um vinho, também espanhol, safra 2003, tempranillo, marca Vega Sauco para termos um parâmetro inicial e depois avaliar melhor as mudanças na percepção do anfitrião da noite. Servimos o Vega Sauco, aguardando 30 minutos de decantação antes de iniciar a degustação propriamente dita. Ao nariz percebemos notas de copota de goiaba, frutas maduras e secas, sem grande presença do àlcool. Na boca notas de mel, garapa, algo de chocolate e couro, todos bem equilibrados e distribuídos. Com o passar do tempo sentimos que a aeração começou a influir um pouco nas percepções finais. A garrafa custou R$48,00 e achamos o custo benefício bastante interessante.

Chegada a hora do anfitrião, abrimos uma garrafa do Marques de Murrieta, safra 2001, com o custo de R$ 125,00. Ao nariz e boca, sentimos as mesmas sensações do primeiro vinho, ou seja, notas de mel, compota de goiaba, frutas maduras e secas, também bem equilibrado e final levemente menos persistente que o primeiro.

Confesso que ficamos um pouco decepcionados com as impressões obtidas, principalmente pela diferença financeira e a tradição entre o primeiro e o último e concluímos que, nesta caso, o custo benefício do segundo pesou mais para o custo do que para o benefício.

Ressaltamos que esta nossa opinião não significa que o vinho seja ruim, mas que pela tradição e propaganda que o segundo possui, esperávamos algo mais interessante.

Desta feita, fica a sugestão para análise e críticas se assim acharem pertinentes.

Saudações Buenavistianas!!!!