queijos1.jpg 

Olá amigos da boa mesa: 

Você pode optar por vinhos tintos, brancos e até espumantes na hora de pensar em bebidas para acompanhar uma tábua de queijos, mas para alguns enófilos os sabores se harmonizam de acordo com as seguintes combinações: 

Vinho Tinto Leve, Espumante ou Branco Seco com queijos de paladar suave, como o Fontina, Gouda, Saint Paulin, Chèvre, Gruyére e Emmental 

Vinho Tinto Suave oriundos da uva Pinot Noir, com graduação baixa de álcool com queijos de paladar menos acentuado, como o Edam, Mussarela, Reblochon 

Vinho Branco Encorpado elaborados com a uva Gewurztraminer de boa acidez com aromas frutados e de especiarias com os queijos de paladar picante ou acentuado, tais como o Feta, Prato, Reino, Parmesão, Chancliche 

Vinho Tinto Leve ou Branco Seco vinificados com a uva Chardonnay, mas sem estágio em carvalho, para queijos de paladar forte, como o Provolone, Queijo Coalho e o Prima Donna 

Vinho Branco Suave ou Tinto Leve para os queijos de mofo branco como o Brie, Camembert, Serra de Portugal, Caprice Dês Dieux  

Vinho Branco Frisante levemente adocicado como os da uva Moscato para os queijos de mofo azul, a exemplo do Gorgonzola, Roquefort, Taleggio e Castelmagno. 

Podemos observar nos exemplos acima citados que existem combinações entre queijos e vinhos que levam em conta a similaridade entre os sabores e outras o contrário, ou seja, a divergência ou o antagonismo dos mesmos. Esta é uma regra básica para buscar realçar os sabores de cada um e não permitir que um se sobreponha ao outro, o que transformaria a reunião enogastronômica em um desastre gustativo. Lembre-se, também, que para todas as regras existem as exceções. Não fique preso somente aos modelos. Ouse, crie e deixe o mundo mais feliz. 

Saudações Buenavistianas!