queijos_vinhos2.jpg

Amigos da boa mesa:

Vamos iniciar a publicação de algumas matérias sobre a combinação entre queijos e vinhos para tentar facilitar a vida na hora da montagem de uma tábua de queijos. Simplesmente reunir os queijos de sua preferência em uma mesma tábua não é  a melhor opção. Alguns critérios orientam a escolha e a apresentação. Inicialmente deve-se levar em conta a temperatura, a estação do ano e a finalidade de cada tábua: se servirá para um pestisco antes das refeições ou uma happy hour. Um coquetel pode ter queijos mais gordos. Já um aperetivo antes do almoço ou do jantar pede sabores mais leves.

Quantidade: Calcule cerca de 150 gramas de queijo por pessoa. Se você for oferecer outros aperitivos ou acompanhamentos, pode diminuir a quantidade.

Variedade: Não é necessário agradar a todos os paladares, mas para crianças sirva os tipos mais suaves. Em uma reunião com poucos convidados, quatro opções de queijo são suficientes. Para um grupo de 20 a 30 pessoas, coloque à mesa até seis tipos. A tábua para uma noite de queijos e vinhos deve ser composta de uma gradação de sabores, dos mais fortes aos mais suaves.

Corte: Se os queijos são partidos muito antes de ir a mesa, podem perder a consistência, a temperatura e as condições ideais de consumo. Em uma grande festa, isso é aceitável, já que não seria possível cada pessoa talhar o próprio pedaço. Em reuniões menores, para orientar os convidados, coloque ao lado de cada opção de queijo entre duas a três porções, como referência. O ideal é que cada produto seja partido com uma faca própria para que o sabor e o aroma de um não interfira nas características do outro. Não use faca de serra, que danifica a textura e corte cada produto seguindo o formato original em que foi comprado, começando pelo meio, até atingir o tamanho desejado.

Apresentação: Arranje os queijos numa única tábua ou suporte individuais de maneira que possam ser identificados. O melhor é que não fiquem em contato uns com os outros para evitar as misturas de sabores. Não monte uma tábua muito grande. O melhor é distribuir queijos por semelhança: queijos suaves de massa macia (estepe, esférico, gouda, edam, saint paulin); de mofo branco (camenbert ou brie); de olhaduras (furos) do tipo suiço (gruyere, emmental ou maasdamer); de massa filada (provolone ou mussarela); duros, de sabor mais picante (parmesão, reino) e de mofo azul (gorgonzola, roquefort).

Acompanhamento:  Pães neutros do tipo baguete, italiano, preto ou de centeio, que não interferem no sabor dos queijos, são ótimos acompanhamentos. Evite os enriquecidos com frutas secas, alho, linguiça, gergelim ou nozes. As torradas, em geral, vão muito bem com queijos cremosos. Frutas secas e também as frescas, de preferências as da estação, são boas opções. Figo, pera, uva, maça e cereja são as que mais combinam com queijos. Evite as frutas ácidas, como abacaxi ou adocicados como banana.

Degustação: Para melhor apreciar o sabor de cada queijo, oriente seus convidados a começarem pelos tipos de sabor mais suave e deixar os de paladar mais intenso para o final.

Por hoje é só. Saudações Buenavistianas!